31 de mar de 2011

BBB 11

   bbb

   A décima primeira edição do reality show mais famoso do Brasil terminou e mais uma vez levou com ele mais um pedacinho da moralidade e da dignidade que ainda resta nos seus telespectadores.

   Digo isso porque fui uma das pessoas que deu audiência para o reality show (por falta de opção de programação), na esperança de encontrar algo novo. Mas confesso que este nunca foi e nunca será meu programa de televisão favorito, pois é o tipo de programa que não acrescenta nada para quem assiste, pelo contrario (mesmo que os exemplos se reduzam a tempo e dinheiro).

   O fato de ser um programa que seleciona pessoas para serem alvos explícitos de julgamentos já me deixa um pouco contrariada. Tudo e todos são rotulados por suas atitudes, sentimentos e palavras. Porém, os participantes aceitam isso, eles são livres para entrarem no programa, mesmo sabendo que serão expostos de maneira “tridimensional”. E eu pergunto: porque? Pela fama? Pelo dinheiro? Ou por algo mais? Pelo que?

   Como se já não bastasse o julgamento feito dentro da casa por nós, pessoas desconhecidas, durante o programa, os participantes são alvos de “bafafás” pelo que foram ou fizeram no passado. Porque? Será que durante o Big Brother Brasil é permitido fazer julgamentos e rotulações sobre as pessoas? Defini-las com uma palavra (bonito, gorda, loira, corpão, burra, gay, transexual, bissexual, estranho, fofoqueiro, barraqueiro, calado, articuladora, boazinha, oferecida, etc.)? Porque o programa incentiva essa atitude? Porque o brasileiro aceita?

   Alias, permitir e incentivar deveriam ser os verbos “carro chefe” do programa, pois bebida em excesso e sexo (explicito ou não) também estão na lista de prioridades do programa. E eu ainda tentei escrever sobre o reality show, mas não rendeu muito assunto interessante.

   Me desculpem os fãs do BBB, precisava desabafar. Mas não se preocupem, ano que vem tem mais! Mais participantes “diversificados”, mais julgamentos, mais dinheiro, mais barracos, mais bebedeira, mais sexo e mais perda de tempo. Mas também tem menos moralidade e dignidade na televisão brasileira (e o pior que a gente acaba assistindo, porque?).

28 de mar de 2011

Opinião de um homem sobre o corpo feminino

   Este texto é uma homenagem às mulheres, o que combina com o mês de março e complementa perfeitamente o post anterior, "Como você vê a si mesma?". Para aquelas que ainda não se convenceram que são lindas de qualquer forma – desde que se amem e se aceitem como são –, aconselho que leiam com atenção as palavras de Paulo Coelho sobre a mulher e seu corpo e tirem suas próprias conclusões. Aí vai:

   Não importa o quanto pesa. É fascinante tocar, abraçar e acariciar o corpo de uma mulher. Saber seu peso não nos proporciona nenhuma emoção. 

Não temos a menor idéia de qual seja seu manequim. Nossa avaliação é visual, isso quer dizer, se tem forma de guitarra... está bem. Não nos importa quanto medem em centímetros - é uma questão de proporções, não de medidas. 

As proporções ideais do corpo de uma mulher são: curvilíneas, cheinhas, femininas...

   Essa classe de corpo que, sem dúvida, se nota numa fração de segundo. As magrinhas que desfilam nas passarelas, seguem a tendência desenhada por estilistas que, diga-se de passagem, são todos gays e odeiam as mulheres e com elas competem. Suas modas são retas e sem formas e agridem o corpo que eles odeiam porque não podem tê-los.

   Não há beleza mais irresistível na mulher do que a feminilidade e a doçura. A elegância e o bom trato, são equivalentes a mil viagras. A maquiagem foi inventada para que as mulheres a usem. Usem! Para andar de cara lavada, basta a nossa. Os cabelos, quanto mais tratados, melhor.

   As saias foram inventadas para mostrar suas magníficas pernas... Porque razão as cobrem com calças longas? Para que as confundam conosco? Uma onda é uma onda, as cadeiras são cadeiras e pronto. Se a natureza lhes deu estas formas curvilíneas, foi por alguma razão e eu reitero: nós gostamos assim. Ocultar essas formas, é como ter o melhor sofá embalado no sótão.

   É essa a lei da natureza... que todo aquele que se casa com uma modelo magra, anoréxica, bulêmica e nervosa logo procura uma amante cheinha, simpática, tranqüila e cheia de saúde. Entendam de uma vez! Tratem de agradar a nós e não a vocês. porque, nunca terão uma referência objetiva, do quanto são lindas, dita por uma mulher.

   Nenhuma mulher vai reconhecer jamais, diante de um homem, com sinceridade, que outra mulher é linda.

   As jovens são lindas... mas as de 40 para cima, são verdadeiros pratos fortes. Por tantas delas somos capazes de atravessar o atlântico a nado.

   O corpo muda... cresce. Não podem pensar, sem ficarem psicóticas que podem entrar no mesmo vestido que usavam aos 18. Entretanto uma mulher de 45, na qual entre na roupa que usou aos 18 anos, ou tem problemas de desenvolvimento ou está se auto-destruindo.

   Nós gostamos das mulheres que sabem conduzir sua vida com equilíbrio e sabem controlar sua natural tendência a culpas. Ou seja, aquela que quando tem que comer, come com vontade (a dieta virá em setembro, não antes; quando tem que fazer dieta, faz dieta com vontade (sem sabotagem e sem sofrer); quando tem que ter intimidade com o parceiro, tem com vontade; quando tem que comprar algo que goste, compra; quando tem que economizar, economiza.

   Algumas linhas no rosto, algumas cicatrizes no ventre, algumas marcas de estrias não lhes tira a beleza. São feridas de guerra, testemunhas de que fizeram algo em suas vidas, não tiveram anos 'em formol' nem em spa... viveram!    O corpo da mulher é a prova de que Deus existe.

   É o sagrado recinto da gestação de todos os homens, onde foram alimentados, ninados e nós, sem querer, as enchemos de estrias, de cesárias e demais coisas que tiveram que acontecer para estarmos vivos.

   Cuidem-no! Cuidem-se! Amem-se!

   A beleza é tudo isto.


Paulo Coelho
 
Exibir Mês da mulher

21 de mar de 2011

Como você vê a si mesma?

   A maioria das mulheres costuma ter mais olhos para seus defeitos ao se olhar no espelho, destacando coisas como: gordurinhas indesejadas, celulite nas coxas, nos glúteos e na barriga, pés de galinha e marcas de expressão no rosto, estrias no culote e nos seios, enfim, tudo o que os homens não notariam em si mesmos, as mulheres “adoram” dar relevância.


Como você vê a si mesma?
   Será que as mulheres fazem isso porque tem baixa-estima ou porque são perfeccionistas? Ou será que é porque as mulheres tem a mania de se compararem entre si? Ou ainda, se compararem com os homens?

   Algumas de nós não se limitam à comparação física, e, muitas vezes, acabam sentindo-se inferiores intelectualmente, psicologicamente, moralmente, espiritualmente e, até mesmo, sentimentalmente.

Não se compare a ninguém!

   Então eu pergunto, como você vê a si mesma? Se você é dessas mulheres que se torturam diariamente ao reduzir a sua pessoa a defeitos internos e externos, pare já com isso! Mude imediatamente! Pois essa atitude só traz malefícios à sua saúde e, digo mais, atraem os olhares dos outros para esses detalhes, muitas vezes insignificantes, que você acaba destacando erroneamente.

   Aqui vão cinco dicas para você mudar a maneira de olhar a si mesma e ter uma vida mais light, sem cobrar tanto de si mesma, afinal de contas: ninguém é perfeito!
  1. Pare de achar defeitos em você. Em vez de se olhar no espelho para encontrar defeitos, enxergue-se com bons olhos e encontre o que há de melhor em você! Eh claro que seu corpo não é perfeito (nenhum corpo é), mas é seu corpo, então cuide dele e aprenda a admira-lo como ele é. Esconda as coisas que não te agradam tanto e destaque o que você mais gosta. Desenvolva seu senso critico para o seu bem e não o contrario.
  2. Não se compare a ninguém. Você ainda não percebeu que cada pessoa é uma pessoa? Esqueça esse lance de comparar sua barriga, suas pernas, sua vida ou seja lá o que for com a de outra pessoa, isso não é certo.Cada pessoa deve ser bonita individualmente, de acordo com sua natureza e buscar o seu melhoramento ao seu tempo, de acordo com o que seja melhor para si. Não copie nada de ninguém. Se aquele corte de cabelo, aquela roupa ou aquele emprego combina com aquela pessoa, talvez não dê certo para você. Viva sua vida e seja um exemplo de pessoa realizada consigo mesma.
  3. Aprenda a amar a si mesma. Quando amamos a nós mesmas, os outros, automaticamente, sentem essa energia e começam a nos amar também. Trate a si mesma como gostaria que os outros te tratassem. Amar-se, significa aceitar-se como é e conhecer-se inteiramente, incluindo os defeitos, ajudando-se a melhorar sempre.
  4. Coloque em primeiro plano suas qualidades. Qualidades e defeitos todo mundo tem, mas tem pessoas que sabem lidar melhor com isso do que outras, tanto que as classificamos como “perfeitas”. Mas perfeição não existe. O que existe é usar de maneira certa o foco das atenções dos outros, visando o melhor e não o pior. No momento em que você destaca suas qualidades, você disfarça seus defeitos (sejam eles internos ou externos). Isso não significa que você se tornou perfeita, apenas coloca em segundo plano aquilo que não te favorece, oferecendo a si mesma mais tempo para aprender a lidar com os defeitos e resolve-los no tempo certo.
  5. Identifique seus defeitos e tente melhora-los. Aqueles que “se acham” perfeitos, são os mais problemáticos, pois não sabem lidar com seus problemas e em vez de corrigi-los, apenas os escondem. Tapar o sol da peneira não funciona. Alias, é ainda mais feio uma pessoa que se “considera” perfeita, do que aquela que se “considera” um zero à esquerda, porque a “perfeita” nunca irá mudar, pois ela não admite que tem “probleminhas” para serem solucionados, e nunca melhora (e são rotuladas como pessoas, no mínimo, chatas). Lembre-se sempre: o primeiro passo para se tornar alguém melhor é reconhecer e identificar onde estão seus defeitos, sejam eles morais, intelectuais, psicológicos, espirituais ou sentimentais e, assim, começar um processo de reconstrução interior. Aí sim, é bem mais fácil de refletir nosso lado bom, quando a beleza vem de dentro.
Aprenda a amar a si mesma

   Agora, para concluir, eu pergunto novamente: como você vê a si mesma?

   Beijos e boa semana a todos!

14 de mar de 2011

Viagem de avião na gravidez

   Olá meninas! Primeiramente peço desculpas por estar ausente ultimamente, mas foi por um ótimo motivo: voltei para o Brasil!

   Ao saber da gravidez, decidi voltar para perto da minha família, para ficar mais amparada e, também, para fazer os exames pré-natais aqui no Brasil, o que me deixa mais tranquila e segura.

   Como vocês sabem, eu estava na Itália, em Veneza, e para voltar para o Brasil, foram mais de 24 horas viajando. Eu estou acostumada a viajar longas distâncias, mas estando gravida tudo muda. Então, tentei me preparar para a viagem da melhor forma possível, para não prejudicar o meu bebê. Afinal, foram mais de 15 horas só dentro de aviões, fora o tempo de espera nos aeroportos.

   Se você também está gravida e vai viajar de avião, não importa a distância, é importante lembrar dessas dicas simples e super importantes, que fazem toda a diferença para você e o bebê.

  • Atestado médico: primeiro de tudo, consulte o seu médico. Certifique-se de que você está preparada para encarar essa viagem e que ela não afetará na gestação. Peça ao médico um atestado que diga que você está apta para viajar, pois algumas empresas aéreas exigem este documento, principalmente estando no terceiro trimestre da gestação.
  • Exija seus direitos: a gestante deve ter tratamento especial e prioridade nas filas e nos assentos do avião. Por isso, informe-se com sua empresa aérea se ela oferece assento preferencial para gravidas e nada de ficar em pé nas filas intermináveis, você tem o direito de passar na frente de todos, pois você está carregando um bebê dentro de você, o que causa mais cansaço e fraqueza do que o normal. Além disso, alerte as aeromoças sobre seu estado de graça, para elas ficarem atentas e darem o auxilio necessário em qualquer situação.
  • Hidrate-se: a pressão dentro do avião é muito grande e faz com que o corpo – de qualquer pessoa, gravida ou não – resseque mais rapidamente que o normal. Não deixe faltar água para seu bebê. Por isso, tome água, muita água, o voo inteiro. Eu tomei uma garrafa de água atrás da outra para me manter hidratada e, mesmo assim, senti que a minha pele e as minhas mãos ficaram bastante ásperas e tive náuseas e enjoos.
  • Mexa-se: procure levantar, se espichar, caminhar e até se alongar a cada 2 horas. O fato de ficar mal acomodada e sentada por varias horas na mesma posição – mesmo que esteja nos assentos preferenciais, onde se pode esticar mais facilmente as pernas – prejudica a circulação sanguínea, fazendo com que as pernas e os pés inchem. Ir ao banheiro passar uma água no rosto já ajuda bastante, pois movimenta o corpo e relaxa.
  • Alimente-se bem: tente comer a comida oferecida no avião. Se não for possível, por diversas razões, uma delas o enjoo – como foi o meu caso – leve na bolsa bolachas de água e sal (crackers) e barras de cereal para comer, mas não fique sem se alimentar por muitas horas e muito menos em jejum.
  • Não carregue peso: se você estiver viajando sozinha, peça ajuda a alguém para carregar suas malas e, até mesmo, guardar sua mala de mão no avião, mas não se esforce carregando peso em nenhum momento para não prejudicar seu bebê. Eh melhor prevenir do que remediar.

    Espero tê-las ajudado com essas dicas básicas sobre viagem de avião na gravidez. Até a próxima!

4 de mar de 2011

Maquiagens de Carnaval

   Mês de março é pura alegria!!! O Carnaval está aí e você já sabe como será sua produção?

   Veja algumas dicas de maquiagens provocantes, diferentes, coloridas ou discretas para você fazer a sua festa!

   Clique na maquiagem preferida para seguir o passo a passo.

  • Maquiagem de oncinha, inspirada em Beyoncé:

  • Maquiagem sensual, para usar em bailes de carnaval mais sofisticados, como a panicat Nicole Bahls:

  • Maquiagem colorida, para entrar no Sambódromo, como a de Mariana Souza (dançarina do Tchakabum):

  • Maquiagem discreta, para pular carnaval na rua ou em blocos, como usará Glenda Santos (modelo):